Super Bowl XXXVI: Rams vs Patriots

Imagem: Football Nation

Um evento inigualável, capaz de encher de brilho, os olhos de quem assiste, capaz de causar apreensão, nervosismo, aflição, até mesmo naquele que já sentiu a sensação antes, e, principalmente, naquele que está experimentando pela primeira vez. Não se trata apenas de football, mas também, da paixão, da emoção. Duas equipes, dois destinos. De um lado, a glória, a sensação de dever cumprido, de trabalho bem feito; do outro, a angústia, a sensação de que poderia ter feito mais, de que poderia ter se esforçado mais. Isso, meus amigos, é a mágica do SUPER BOWL.

Louisiana Superdome, New Orleans, Louisiana. 3 de Fevereiro de 2002, seria desenhada ali a história do Super Bowl XXXVI. Frente a frente, St. Louis Rams e New England Patriots.

Os Rams, favoritos, em seu terceiro Super Bowl, buscavam a glória que fora alcançada duas temporadas antes, onde vencera o Super Bowl XXXIV, com 23-16 pra cima do Tennessee Titans. St. Louis vinha para esta partida com 14-2 na temporada regular e vitórias no Divisional Game, 45-17 pra cima do Green Bay Packers, e no NFC Championship Game, 29-24 pra cima do Philadelphia Eagles. Já os Patriots, também em seu terceiro Super Bowl, buscavam glória nunca alcançada. New England vinha para esta partida com 11-5 na temporada regular e vitórias no Divisional Game, 16-13 sobre o Oakland Raiders, e no AFC Championship Game, 24-17 sobre o Pittsburgh Steelers.

Os Rams já tinham vencido os Patriots nessa temporada: 24-17 na Semana 10; portanto, era um incentivo a mais para ambas as partes. A partida tem início, e na metade do primeiro quarto, os Rams abrem o placar: depois de um drive com 10 jogadas e 6 passes completados em 7 tentativas do experiente quarterback, Kurt Warner, um field goal de 50 jardas cobrado por Jeff Wilkins deu ao Rams 3-0 no placar. Mais tarde, no segundo quarto, os Rams chegaram até a linha de 34 do campo dos Patriots, mas Warner teve um passe incompleto na terceira descida, e Wilkins errou um field goal de 52 jardas. Com 8:49 por jogar, no segundo quarto, o defensive back de New England, Ty Law, interceptou um passe de Warner, que seria para o receiver Isaac Bruce, retornando para 47 jardas e touchdown, virando o jogo para os Patriots, 7-3. Restando menos de dois minutos para o fim do quarto, Warner completou um passe para o receiver Ricky Proehl na linha de 40 jardas do campo de defesa, mas o defensive back dos Patriots, Antwan Harris, forçou o fumble enquanto o tackleava, fumble recuperado pelo defensive back dos Patriots, Terrell Buckley. Tom Brady iniciou a campanha de New England, que só terminou com um passe de oito jardas e touchdown, para o receiver David Patten, restando apenas 31 segundos para o final do quarto. E ficou nisso, as equipes foram para os vestiários com a surpreendente vitória parcial dos Patriots, 14-3.

No terceiro quarto, depois de as equipes trocarem punts, os Rams tinham a posse da bola. O cornerback do New England Patriots, Othis Smith, intercepta um passe direcionado ao receiver Tory Holt, depois de Holt escorregar, retornando para 30 jardas, até a linha de 33 do campo de ataque. Depois de a defesa dos Rams não ceder o touchdown, o kicker dos Patriots, Adam Vinateri, chutou um field goal de 37 jardas, que aumentou a vantagem de New England, 17-3. Os Rams responderam, levando a bola até a linha de 3 jardas do campo de ataque. Numa quarta para o goal, os Rams optaram por tentar anotar o touchdown, com uma corrida de Warner. Warner sofreu fumble quando foi tackleado pelo linebacker Roman Phifer, que foi recuperado pelo defensive back dos Patriots, Tebucky Jones, retornando para 97 jardas e touchdown, que aumentava a vantagem dos Patriots para 23-3. No entanto, a jogada foi anulada por uma falta do linebacker dos Patriots, Willie McGinest, que agarrou, ilegalmente, o running back dos Rams, Marshall Faulk. A falta deu ao Rams um novo first down, na linha de 1 jarda. Na segunda descida, Warner correu para duas jardas e touchdown, diminuindo o placar, 17-10. No quarto e último quarto, depois de vários punts, Warner lançou um passe para 26 jardas e touchdown, para Proehl, que empatou o jogo com 1:30 restantes para o final da partida, 17-17. Brilharia aí a estrela de Tom Brady, draftado na sexta rodada do draft de 2000, era reserva até a Semana 2, quando o quarterback titular Drew Bledsoe se machucou, e então, Brady liderou a equipe nessa campanha surpreendente, sendo selecionado, inclusive, para o Pro Bowl.

Os Patriots não tinham timeouts, e optaram por tentar a vitória nesse último drive. Brady iniciou o drive com três passes completados para o running back J.R. Redmond, que deixou a bola na linha de 41 jardas, com 33 segundos restantes para o fim da partida. Depois de um passe incompleto, Brady acertou um passe de 23 jardas para o receiver Troy Brown, seguido de um passe de 6 jardas para o tight end Jermaine Wiggins, chegando à linha de 30 jardas do campo de ataque. Faltando sete segundos para o fim da partida, Vinatieri veio para o que seria o field goal da vitória, de 48 jardas. O chute foi bom, dando a vitória aos Patriots, e foi a primeira vez na história do Super Bowl em que o jogo foi decidido na última jogada. Fim de partida: St. Louis Rams 17-20 New England Patriots.

Com a vitória, os Patriots conseguiram seu primeiro título de Super Bowl, mas os Rams também saíram vitoriosos. Foi uma temporada e tanto para o time de St. Louis, que só não foi perfeita por causa de alguns detalhes. Nessa temporada, os Rams se tornaram o primeiro time na história da NFL a vencer os seis primeiros jogos e marcar 500 pontos, ou mais, em três temporadas consecutivas. O ataque dos Rams, de 1999-2001, apelidado de “The Greatest Show on Turf,” é considerado um dos melhores da história da NFL. Grandes jogadores, grande time, e esta será uma eterna lembrança.

**Esse é um post especial. Ideia original do Giants Brasil com a série “Na memória,” escrita por mim mesmo.