Draft 2014: O que esperar – Parte III

Fala galera!
Aqui tá a última parte da análise de possíveis escolhas nossas no draft. Era pra ter saído ontem, mas a correria tá enorme. Não está bem completo, mas dá para ter uma ideia do que podemos encontrar hoje a noite. Não coloquei em nenhum dos textos da análise, mas como foi falado em outro dos posts do blog, podemos escolher um LB pra fazer rotação com os nossos meninos Laurinaitis e Ogletree. Também é possível que escolhamos um RB para complementar Stacy e um DL. Então… acho que é isso, espero que gostem.

QUARTERBACK

Não, eu não acho que iremos escolher um QB logo no primeiro round (afinal, o post é sobre ele)… mas acredito que é um assunto importante.

O Bradford foi draftado com pompa de franchise, no primeiro ano foi o cara da franquia, mas no segundo ano não continuou sua evolução muito por causa da mudança de OC, e de o time ter sofrido inúmeras lesões na linha e consequentemente ele acabou se machucando também.

Ano passado todo mundo falava que era o ano do “vai ou racha” até porque era o segundo ano do Fisher e estavam tentando dar todas as armas necessárias para ele fazer uma boa temporada. Porém ele acabou machucado, então, essa temporada ele estará sobre pressão. Tem que corresponder todas aquelas expectativas que lhe foram depositadas desde o começo. Até porque, só conseguimos que o Fisher assumisse o Rams porque ele achava que o Sam Bradford tem potencial para se tornar um QB de elite e liderar o Rams ao Superbowl, mas vamos ao que interessa. Como eu disse no início do parágrafo, não acredito que iremos buscar um QB logo na primeira rodada, como eu disse também, isso se deve à confiança depositada no Sammy, pelo time e pela maioria dos torcedores, então como o ele pode “provar” não ser um verdadeiro franchise QB, acredito que iremos pegar um quarterback a partir da terceira rodada, para ficar de backup e ir aprendendo durante a temporada ou temporadas (rs), por isso, seria escolhido um quarterback com características de jogo parecidas com a do Sam. Vamos aos nomes:

Johnny Manziel: nem tenho muito o que dizer de Manziel até porque todo mundo conhece. O jogador mais midiático do draft, por suas ótimas temporadas no college desperta interesse de muitos times e consequentemente do Rams. Mas como eu disse anteriormente, pegaremos um QB mais abaixo no draft,  logo, esse não sera o Manziel.
Ainda bem, não gosto dele.  Esses rumores de que iria haver uma troca com Bradford para pegá-lo era apenas smokescreen, Brad continua firme e forte.

Zach Mettenberger: bem provável que seja selecionado a partir da terceira rodada (quando acredito que selecionaremos um QB), Zach é um provável escolha. É um quarterback que pode aprender a jogar em situações de pressão (tem melhorado a cada temporada), tem um braço fortíssimo e boas pernas. Jogou 2 anos como titular na SEC.  Porém, não tem um bom footwork no pocket,  não é tão bom na leitura da defesa e na hora de perceber blitzes e ainda há dúvidas sobre seu caráter. Já que em 2010 foi expulso de um time acusado de assédio sexual.

Tom Savage: cotado para aparecer entre o segundo ou terceiro round, Tom é um quarterback ainda inexperiente, cru… precisa ser trabalhado. Ficou algum tempo sem jogar pelas suas mudanças de faculdade, e apenas em 2013 teve chance de aparecer. Tem um braço forte, consegue fazer passes em um espaço pequeno, jogava com um esquema parecido com o profissional (não apenas shotgun, que é o mais usado no college). Tem mobilidade e não toma um cafézinho no pocket antes de lançar a bola.  Apesar de seu forte braço, não é muito bom em passes compridos, seus passes não tem muita precisão (o que pode ser melhorado).

Aaron Murray: talvez a melhor opção para nós no draft (se cair até a terceira ou se tivermos uma escolha extra na segunda). É muito experiente, por ter jogado 4 anos de titular, tem um bom braço, não foca só em um receiver, tem espírito de liderança e é inteligente. Porém não é muito alto (Russell Wilson tbm não), é facilmente pressionado pela defesa e teve uma lesão no ultimo ano de faculdade.

Derek Carr: outra boa escolha no draft, Carr tem capacidade de evoluir muito ainda. Se deixar sua ansiedade de lado, e tiver uma boa OL. É um pocket passer, distribui bem a bola, inteligente, boa visão de jogo e é experiente. Porém não jogou em uma conferencia dificil na faculdade, e ainda não provou que pode jogar realmente em alto nível. Tem boa work ethic  e um braço muito forte.

Jimmy Garoppolo: digamos que Jimmy é um diamante a ser lapidado,  já tem boas características: bom footwork,  não enrola muito para lançar, toma decisões rapidamente, tem um braço forte, sabe ler a defesa e tem boa mecânica de passe.  Porém tem mãos pequenas comparadas as de algum outro quarterback, para não gerar fumbles terá de aprender a cuidar bem da bola. Não enfrentou times fortes na faculdade, o que é um ponto contra e terá de aprender a jogar contra defesas mais bem postadas e treinadas.

AJ McCarron: sua principal característica é ser um bom game manager, tem espírito de liderança, boa visão de campo, distribuindo a bola para seus WRs,  é bom na hora de escapar da pressão. Porém não tem muita mobilidade, pode ser confundindo na jogada da defesa, braço não muito forte. Na NFL pode ser apenas um bom backup ou pode (depois de ser desenvolvido), virar titular.

Anúncios

Draft 2014: O que esperar – Parte II

Eaí pessoal!

Como prometido, aí vai a segunda parte da série de textos sobre as possíveis escolhas do Rams no primeiro round. Hoje faleremos  sobre os receivers e a secundária.  Lembrando que nem todos os jogadores citados sairão no primeiro round, pode acontecer de pegarmos algum deles no início do segundo. Então vamos ao que interessa: 

WIDE RECEIVERS

O corpo de WRs, no papel, não precisa de reforços, mas não foi o que vimos nas duas ultimas temporadas. Brian Quick, que foi draftado para ocupar o papel de WR #1 não correspondeu às expectativas no seu primeiro e nem no segundo. Isso faz com que seja muito provavel que o Rams vai atrás de um novo WR #1. Muitos nomes estão sendo especulados, mas na primeira rodada temos 3 ou 4(?) nomes que o General Manager Les Snead olha com mais atenção:  Sammy Watkins, Mike Evans, Marqise Lee e Jordan Mathews (esses dois últimos explico o por quê).

Começando pelo Watkins. Ele é o WR mais completo do draft: explosivo, faz boas rotas, bloqueia bem, é veloz (por isso muitas vezes atrai marcação dupla, e não é afobado (busca receber a bola antes de correr). Porém tem de melhorar seu físico e não deixar acontecerem problemas extra-campo (algo que o Fisher sabe como lidar).  Sua consistência durante o college faz com que possamos acreditar que ele se adaptará bem em qualquer esquema de ataque.  Será escolha top 10 do draft, podendo ser escolhido por nós na #2 ou um pouco mais abaixo (caso façamos um trade-down e ele esteja disponível ainda).

Mike Evans ainda nos deixa certa dúvida: será que não era apenas a sincronia com Manziel que o fez conseguir os bons números em 2 anos de college? Talvez, mas não entraremos nesse mérito. Vamos falar de suas características: ele tem boas mãos, mas é um pouco inconsistente (drop de algumas bolas simples), também peca um pouco na hora de correr as rotas e não apresenta boa capacidade de aceleração (na hora de deixar o CB pra trás num passe profundo isso complica). Por seu físico (tamanho e força) costuma ganhar as disputas de bola no ar. Teve uma alta média de jardas por recepção(mais ou menos 20) e quase sempre consegue jardas após a recepção.

Sei que deve ter se assustado(ou não) quando citei Marqise Lee. Estamos precisando de um jogador explosivo, alto, com boas mãos, que corra boas rotas e que corra com velocidade (apesar de não ter tido bom resultado no 40 yd dash). Lee tem quase tudo isso, mas falta altura(1,83).  Com boa capacidade de liderança, é motivado e playmaker. Suas habilidades fazem com que possa jogar de WR#1. É só ficar longe das lesões.

Ele estava cotado para ser escolhido apenas na segunda rodada, mas após o combine, subiu nas expectativas e pode aparecer lá pelo fim da primeira (eu acho que vai ser no começo da segunda, mas vou falar dele mesmo assim): Jordan Matthews é alto, forte, tem ótimas mãos (por ser da família do Jerry Rice? Talvez)… O importante é que consegue fazer recepções difíceis, porém não é bom em situação de pressão e acaba cometendo alguns drops (na temporada passada sofremos com os drops de WRs, tanto quando Bradford estava saudável e quando Clemmens dava lampejos de bom QB) e não é tão veloz… então por isso talvez não seja a melhor escolha.

DEFENSIVE BACKS

Nossa secundária passou por maus bocados na temporada passada, não apenas por culpa do DC mas também pela falta de experiência dos novatos e até muitas vezes limitação técnica. Alguém que pode suprir a carência de um Safety para jogar ao lado de TJ McDonald, que no início da temporada acumulou tackles e boas jogadas antes de se machucar, é HaHa Clinton-Dix. Antes de falar sobre ele, gostaria de esclarecer que HaHa é apelido, seu nome é Ha’Sean, e ganhou esse apelido de sua avó. Indo ao que interessa, HaHa é talvez o melhor safety do draft, vai bem contra o jogo corrido, consegue marcar TEs e é bom na cobertura. Alem disso é atlético, agressivo, não perde tempo em jogadas e acima de tudo é versátil. Se evoluir sua velocidade, combinado com a agilidade e habilidade e seu instinto poderá ser um dos melhores da NFL. Ou não.

Outro que poderia ser escolhido para S no primeiro round seria Calvin Pryor, mas acredito eu, não seria tão impactante na defesa e seria melhor ser escolhido mais abaixo(posso estar errada), após um trade-down.

Continuando o assunto da secundária, caso nenhum dos dois citados acima estejam disponíveis, Justin Gilbert (o melhor CB do draft) poderia ser uma boa escolha, e poderia contribuir tanto retornando chutes, quanto como CB, já que dispensamos o Finnegan. É rápido, atlético, capaz de anular recebedores altos e fortes porém teve uma carreira não tão consistente no college.

No caso de uma trade-down, como falado acima tendo uma escolha de primeira rodada mais abaixo ou até começo da segunda, acredito que Darqueze Dennard, também um dos melhores CBs do draft estará disponível. Dennard tem um bom físico,  é rápido, instintivo e pode jogar contra recebedores altos e fortes. Jogou 3 anos como titular (ou seja, tem certa experiência), lê bem o ataque quando marca homem a homem e também em zona, sabe fazer blitz (o que o tornaria útil na defesa, já que o novo DC gosta de mandar blitz)

E aguardem que amanhã tem mais uma parte da analise do que esperar no draft 2014.

Draft 2014: O que esperar – Parte I

Saudações Ramsmaníacos!

Pra quem ainda não me conhece, meu nome é Rafaela, sou torcedora do Rams desde 2010 e há 2 ou 3 anos venho acompanhado assiduamente nosso time.

Depois desse longo e entediante período sem a nossa querida NFL e sem o nosso Rams, cá estamos, há apenas alguns dias do draft. Por isso, farei uma sequência de textos de hoje até quarta (véspera do draft) sobre nossas possíveis escolhas no primeiro round (com uma ou outra menção honrosa para o segundo).
Então, antes de falar sobre as possíveis escolhas, é importante salientar que podemos fazer um trade-down com algum time que queira um jogador específico e tenha medo de não estar disponível quando chegar sua vez. Lembrando também que não seria de todo ruim “perdermos” alguns dos jogadores considerados ‘tops’ nas posições correspondentes, pois pelo que dizem os especialistas, muitos jogadores que serão escolhidos no segundo round do Draft 2014, poderiam ser escolhidos no primeiro, em algum outro ano. Tamanho a qualidade de MUITOS jogadores saídos do college esse ano. Então não se surpreenda, Les Snead e o Jeff Fisher de bobos não têm nada.

OBS: sobre alguns jogadores eu falei mais, que são os que eu acho que têm mais chances de serem escolhidos por nós.

O MAIS DISPUTADO

Para começar, não poderia deixar de falar de um dos melhores prospectos dos últimos anos do draft: Javedeon Clowney. Não entendam como ‘babação de ovo’ ou o que quer que seja, mas ao que muitos especialistas dizem, ele é um p*** DE, e talvez, dependendo da análise de necessidades que o staff do time fez, não me surpreenderia com a escolha dele na segunda pick. Porém, devemos lembrar que a chance do Texans escolher ele é altíssima, e até mesmo pode acontecer de algum time trocar essa pick com o Texans para escolhe-lo. Está disputado o rapaz.

OFFENSIVE LINE

Após a lesão do Long, a saída do Dahl, a idade avançada do Wells e a baixa durabilidade de Saffold, é certo que iremos atrás de OLs no draft. Com a possibilidade de escolhermos ao menos dois caras para a linha (um deles logo no primeiro round), abaixo estão alguns dos nomes mais cotados:

Até então, com uma possível escolha na Pick #2, Jake Mathews, após um combine fraco, caiu no board, e se for escolhido pelo Rams, será na #13 ou após um trade-down.

O combinerevelouque Jake tem braços curtos, o que o faria uma escolha não tão boa pra proteger um QB no ‘lado cego’ jogando de tackle. No college, jogou apenas um ano no lado esquerdo. Se o Rams draftá-lo, para desenvolve-lo para jogar no lado esquerdo daqui um tempo maior, acho que seria uma boa escolha. Ele tem mãos fortes, footwork bom, é inteligente e teria tudo para começar de RT (tomando a vaga de Barksdale?). Pode-se dizer que Mathews é uma escolha segura, mas só se não tivermos pegado Greg Robinson.

Robinson ao contrário de Mathews se mostrou muito bem no combine, com um bom tamanho e rapidez e muita força. Abre bons gaps para corridas e é bom na proteção do passe (aliás, melhorando a proteção do passe ficaria ainda mais completo). Talvez a escolha mais certa do Rams caso não faça um trade-down.

Uma alternativa também seria Taylor Lewan, que como Robinson, aproveitou o combine para subir no board. Surpreendeu demonstrando ser ágil e atlético, mesmo tendo 2 metros de altura e uns 140 kg. Sabe abrir gaps para o jogo corrido e protege bem o QB. É o tipo de jogador ‘plug-and-play’, chega com alto potencial de assumir a titularidade no time (eu gostaria que ele fosse mais desenvolvido ainda, para ficar top de verdade). Seu comportamento fora de campo é um fator negativo, mas o importante, e o que pode fazer a diferença em Lewan ser escolhido, é sua ótima proteção ao QB, que foi onde mais pecamos na temporada passada. É bom contra DEs já que é ágil, porém peca quando tem de um cara muito pesado. Apesar de ser ágil, seu bloqueio na blitz lateral não é tão boa, por isso comentei que preferia que fosse desenvolvido. Jogou contra os fortíssimos adversários da Big Ten e é regular, então podemos dizer que Lewan é uma escolha bem provável, se não escolhermos Robinson.

Um pequeno comentário sobre uma possível escolha do segundo round:

Se, por acaso não escolhermos um OL no primeiro round e não tiver mais ninguém desses que eu citei, disponíveis… com a chance de acontecer um trade-down e o Rams conseguir uma escolha a mais no segundo round, poderia acontecer de pegar o OG Gabe Jackson, que é um bloqueador para jogadas de corrida, tem uma envergadura e força física muito grandes. Protege bem no passe, porém não é considerado tão ágil.