[Pós-Game] Baile no Edward Jones Stadium – Chicago Bears 21 @ 42 St. Louis Rams

Run Tavon! Run! \o/

Run Tavon! Run! \o/

Sim! Tivemos um baile no Edward Jones Stadium que resultou em um fantástico touchdown de Tavon Austin, um lindo fake de uma corrida para a esquerda combinado com uma agilidade e velocidade pelo qual Austin foi selecionado como a oitava escolha do último draft. O Ataque do Rams foi muito bem, principalmente o jogo corrido, a surpresa do jogo, além da jogada de Austin, foi Benny Cunningham que substituiu Stacy após uma concussão, o calouro não draftado terminou o jogo com 13 corridas, 109 jardas e 1 TD. Simplesmente impressionante.

Pontuadores do jogo

1st Quarter
STL TD Corrida de T.Austin (65 jardas) (G.Zuerlein kick) (3-81, 1:30)
STL TD Corrida de Z.Stacy (1 jarda)(G.Zuerlein kick) (3-7, 0:43)
CHI TD Passe de J.McCown para M.Bennett (7 jardas)(R.Gould kick) (11-80, 6:22)
STL TD Passe de K.Clemens para J.Cook (6 jardas)(G.Zuerlein kick) (9-80, 4:47)
2nd Quarter
CHI TD Passe de J, McCown para B.Marshall (3 jardas)(R.Gould kick) (12-68, 5:58)
STL FG Field Goal de G.Zuerlein (29 jardas)(10-69, 4:08)
3rd Quarter
STL FG Field Goal de G.Zuerlein (40 jardas) (11-73, 4:17)
4th Quarter
CHI TD Corrida de M.Bush (1 jarda)(R.Gould kick) (12-72, 7:24)
STL TD Corrida de B.Cunningham (9 jardas) (Passe de K.Clemens para I.Pead conversão de 2 Pts) (7-80, 4:10)
STL TD Retorno de fumble para touchdown de R.Quinn (31 jardas)(G.Zuerlein kick)

Link dos melhores momentos: Aqui

O Jogo

O Rams jogou bem no ataque, principalmente com um jogo terrestre funcionando e funcionando muito bem, já a defesa não foi tão bem, mas conseguiu produzir 4 turnovers no jogo e segurou muito bem o Bears na redzone até produzindo um dos turnovers do jogo com uma quarta descida parada por Jo-Lonn Dunbar.

Na primeira jogada, corrida fake de Tavon Austin pela esquerda, ele da um passo para a esquerda, gira em torno do próprio eixo e corre pela direita, 65 jardas para o touchdown. Na primeira posse de bola do Bears, Trumaine Johnson forçou um fumble que foi recuperado por Laurinaitis. Com o ataque novamente em campo e a poucas jardas para o TD, com apenas 3 jogadas o Zac Stacy entra na endzone com uma jogada de corrida de 1 jarda (14×0). O Bears consegue reagir no próximo drive com um TD do TE Martelius Bennett, após 11 jogadas e 80 jardas. Ainda no primeiro quarto o Rams consegue um ótimo drive variando bem em corridas e passes e na redzone, Clements acha Jared Cook com um passe de 6 jardas ao fim do primeiro quarto 21 x 7 para o Rams. 

O segundo quarto foi pouco produtivo para os 2 times, principalmente por que o Bears ficou com o ataque em campo em um único drive por 5:58 min conseguindo o segundo touchdown. Na segunda posse do Rams no segundo quarto o time consegue apenas um field goal de 29 jardas com Greg Zuerlein.

No início do segundo tempo o Bears mantém o jogo de se manter em campo para buscar o touchdown e após 14 jogadas, 6:44 minutos tenta uma quarta descida faltando 1 jarda para o TD, Jo-Lonn Dunbar consegue se livrar da marcação do ataque e faz um tackle for loss em Michael Bush tirando o ataque do Bears de campo sem pontuação. Com o ataque em campo o Rams produz mais um field goal, dessa vez de 40 jardas após um longo drive de 11 jogadas e 4:17 minutos, nesse momento Cunningham aparecia com ótimas corridas, Stacy e Chris Williams tinham saido do jogo com concussão. O terceiro quarto termina com um punt do Bears. A curiosidade do terceiro quarto, foi que ele teve apenas 3 drives, dois do Bears e 1 do Rams.

O 4º quarto começa com o ataque do Rams que produz apenas 3 jardas em 3 jogadas e devolve a bola pro Bears. Em outro drive, o mais longo da partida, o Bears chega a mais um touchdown, dessa vez Michael Bush consegue entrar na endzone. Com um ótimo drive de 90 jardas o Rams consegue mais um touchdown com uma ótima corrida de Benny Cunningham, que ainda se esticou muito para conseguir esses 6 pontos. No próximo drive do Bears Robert Quinn consegue um um sack, forçar um fumble, recuperar e retornar para touchdown 42 x 21. No último drive do jogo o Rams consegue interceptar Josh McCown e o ataque entrou em campo apenas para ajoelhar e acabar o jogo.

Bears Passing Leaders
Grade Name Comp Att Yds TDs Int
B+ 88 J. McCown 36 47 352 2 1
Rams Passing Leaders
Grade Name Comp Att Yds TDs Int
C 74 K. Clemens 10 22 167 1 0
Bears Rushing Leaders
Grade Name P Att Yds YdsA TDs
B+ 89 M. Forte RB 16 77 4.8 0
B+ 88 J. McCown QB 2 4 2.0 0
C+ 77 A. Jeffery WR 1 4 4.0 0
Rams Rushing Leaders
Grade Name P Att Yds YdsA TDs
A 96 B. Cunningham RB 13 109 8.4 1
A 94 Z. Stacy RB 12 87 7.2 1
A 94 T. Austin WR 1 65 65.0 1
Bears Receiving Leaders
Grade Name P Rec Yds YdsA TDs
A+ 100 B. Marshall WR 10 117 11.7 1
A 95 M. Bennett TE 4 62 15.5 1
B 83 E. Bennett WR 8 58 7.2 0
Rams Receiving Leaders
Grade Name P Rec Yds YdsA TDs
A+ 98 J. Cook TE 4 80 20.0 1
A 94 T. Austin WR 2 39 19.5 0
D+ 69 S. Bailey WR 1 19 19.0 0

Destaques do time

  • Benny Cunningham: 13 corridas, 109 jardas e 1 TD
  • Tavon Austin +1 touchdown (esse foi especial) veja no LINK
  • 4 turnovers: 1 interceptação, uma tentativa de quarta descida parada e 2 fumbles forçados
  • Robert Quinn COMBO: Fumble forçado, recuperado e retornado para touchdown LINK
  • Consistência de Kellen Clements: 167 jardas passadas, 1 TD, 0 INT.
  • 3 TDs corridos em um mesmo jogo.
  • Desde 2001 o Rams não fazia 21 pontos em um único quarto.

Obra a ser admirada: O baile

Opinião

Armando: Foi muito bom ter a surpresa de ver Benny Cunnigham correndo bem, muitos não levavam fé, mas não apenas nesse jogo, ele vem fazendo um bom trabalho e evolução do jogo dele. Clements continua como um game managerm controlando a bola e fazendo apenas jogadas seguras, isso é muito bom, e não produzindo turnovers.Mais uma vez nossa DL mostrou que é TOP da NFL, principalmente Robert Quinn que mais uma vez teve uma excelente atuação neste jogo e o maior highlight foi quando Quinn, forçou o fumble em Josh McCown e ele mesmo recuperou e retornou 31 jardas para o touchdown.

O ponto negativo deste jogo continua sendo a atuação da secundária que sofreu muito pra marcar Brandon Marshall, Earl Bennett, Martelius Bennett e Alshonn Jeffrey. Tivemos muitas faltas causada por Brandon McGee, não quero queimar o rookie, mas já queimando, a atuação dele foi para esquecer. Não da para manter ele como um backup neste ano.

A Nota triste do jogo foi a preocupação com as concussões de 3 jogadores importantes do Rams: O left guard Chris Williams, Zac Stacy e o cornerback Trumaine Johnson. Três titulares que provavelmente não jogarão o próximo jogo.

Anúncios

Papo de Quintal #24

Até que enfim voltei!!!

Desde 13 de outubro que não posto nada. Um pouco por culpa da faculdade que tem tomado meu tempo e muito por conta da preguiça.

Muito aconteceu desde meu último post, e acredito que nem valha muito a pena retomar cada um deles. Como forma de compensar essa ausência vou escrever um pequeno parágrafo dizendo minha opinião sobre nosso time:

A princípio acreditei que a lesão de Sam Bradford seria uma desgraça maior para o Rams. Acreditava que ele era o pilar de sustentação desse time até então. O que vi foi um time que se reinventou com a ausência de Bradford. Um time com falhas na defesa do jogo aéreo e principalmente por parte de nosso QB reserva Clemmens, que nos custaram vitórias que nos credenciariam aos playoffs. No entanto o time tem jogado com uma garra fantástica, descobrimos nosso RB Zac Stacy, e até seu reserva Cunningham tem corrido bem com a bola. Austin apareceu como playmaker, no ataque e no special teams. Isso me faz pensar o quanto isso pode ser animador pra próxima temporada.
Em tempo ganhamos o jogo da temporada na minha opinião… 42 x 21 contra os Ursinhos Carinhosos, digo o Bears… CHUPA!!!
Enfim o time tem feito o que eu sempre peço… tackleando com muito amor!!!  Nesse quesito destaco Quinn na defesa e Bailey nos Special Teams.

TACKLE COM AMOR!!!

TACKLE COM AMOR!!!

Nesse tempo afastado alguns assuntos rolaram no grupo do Facebook e no do Whatsapp, e um deles me chamou a atenção. Resolvi escrever um pouco sobre ele, uma vez que já pensei muito sobre isso. Então ai vai:

A EMOÇÃO DE TORCER

O esporte tem um poder enorme na sociedade desde a Antiguidade. Interrompia guerras guerras, constrói mitos, nos revela heróis… Más de todas essas facetas acho que a mais incrível dela é como o esporte desperta em nós a paixão. Não podemos dizer que todos os seres humanos tem essa paixão despertada pelo esporte, mas a grande maioria é atingida por essa paixão.
Eu sou um torcedor assumido. Vibro com o esporte, com meus ídolos, com as equipes que simpatizo, contra aquelas que não simpatizo. E esse sentimento de torcedor, essa emoção é única. É tão louco isso, que nos foge à razão. Não há motivos racionais para você torcer contra um rival, é tudo movido a paixão.

Em vários momentos da minha vida eu fui um torcedor fanático. Quando pequeno sabia a escalação do meu time de futebol, mas mal sabia entender um impedimento. Assisti a jogos de madrugada, sem nem bem entender o que se passava, e tive a sorte de ver meu time ser campeão nessa época, nesses jogos. Depois cresci e deixei o futebol um pouco de lado, até que a uns 8 anos atrás eu fui a um estádio de futebol, pela primeira vez assistir um jogo do meu time. Essa paixão tomou conta de mim novamente, de uma forma mais intensa. Perdi poucos jogos do meu time no estádio durante uns 3 anos, talvez só não tenha visto 10 jogos. Essa sensação de torcer foi vivida de uma outra forma. O canto da arquibancada, a presença no estádio, o grito de gol, isso fazia eu me sentir parte do jogo. Torcer era minha diversão, e parte fundamental de minha vida. Depois me desiludi com as politicagens e outros fatos que me mostraram o quanto o futebol é sujo. Eu realmente desencantei do futebol, apesar de em alguns jogos voltar a sentir essa emoção de torcer, mas nunca mais com a mesma intensidade.

Outro momento em que eu sinto muito a emoção de torcer são nos Jogos Olímpicos. Adoro assistir todos os esportes!!! Se estiver passando badminton, natação, hipismo, vela ou tiro categoria carabina de ar 20 metros eu paro pra assistir e vibro com os resultados. Mas não me limito a torcer pelo Brasil, ou contra outros países. Torço pelo bom desempenho dos atletas. Pela realização do sonho olímpico, talvez seja inocência, mas ainda acredito no Espirito Olímpico.

A uns anos eu comecei a acompanhar a NFL de verdade, e ja tinha um time, por culpa de ver um ou outro jogo quando era mais novo, e por conta dos jogos de video-game e computador. Esse time é St. Louis Rams. No entanto essa paixão foi uma coisa muito mais construída ao longo dos anos, talvez pela dificuldade em assistir aos jogos, outra pela maturidade e experiencia adquirida. A realidade é que hoje, eu vibro assistindo os jogos da NFL, e ainda mais os jogos dos Rams a ponto de assustar quem está em volta de mim, porque grito, xingo, gesticulo, comemoro, saio dançando após os TDs. Percebi que era um apaixonado, quando comecei a secar times, sem razão nenhuma, simplesmente por não simpatizar com eles, ou ainda quando passei a torcer por outros times, onde jogam jogadores que eu admiro.

Enfim a NFL e o Rams me fizeram redescobrir a emoção de torcer, e ela é única e cada vez mais intensa!

Por hoje é só pessoal

GO RAMS!!!
E TACKLEIA COM AMOR, P*%%@!!!

Familia Long

Howie Long foi  um ótimo defensive end pelo Raiders por 13 temporadas sendo incluído no Hall da Fama.

     Super Bowl champion (XVIII)     8× Pro Bowl selection (1983, 1984, 1985, 1986, 1987, 1989, 1992, 1993)     3× First-team All-Pro selection (1983, 1984, 1985)     2× Second-team All-pro selection (1986, 1989)     NFL 1980s All-Decade Team     co-NEA NFL Defensive Player of the Year (1985)     2× NFL Alumni Defensive Lineman of the Year (1984, 1985)     NFLPA AFC Defensive Lineman of the Year (1984)

Howie Long #75
Super Bowl champion (XVIII)
8× Pro Bowl selection (1983, 1984, 1985, 1986, 1987, 1989, 1992, 1993)
3× First-team All-Pro selection (1983, 1984, 1985)
2× Second-team All-pro selection (1986, 1989)
NFL 1980s All-Decade Team
co-NEA NFL Defensive Player of the Year (1985)
2× NFL Alumni Defensive Lineman of the Year (1984, 1985)
NFLPA AFC Defensive Lineman of the Year (1984)

Seu filho Chris  também é defensive end e foi escolhido pelo St. Louis Rams como segunda escolha geral no draft de 2008.

Chris long

Cris Long #91
NFL Alumni Lineman of the Year (2011)
NFC Defensive Player of the Week (Week 6, 2010; Week 8, 2011)
NFL All-Rookie Team (2008)
Unanimous All-American (2007)
Ted Hendricks Award (2007)
Dudley Award (2007)
ACC Defensive Player of the Year (2007)
First-team All-ACC (2007)
Second-team All-ACC (2006)

Seu outro filho Kyle foi draftado na primeira rodada do draft de ano pelo Chicago Bears.

USA Today High School All-American (2007)

USA Today High School All-American (2007)

Como descrito no post anterior Chris e Kyle vão se enfrentar neste domingo na partida entre Rams e Bears, eles devem bater de frente pois Kyle é Ofensive line e Chris irá encontra-lo algumas vezes principalmente nas nas jogadas de corridas do Bears, será um duelo bem interessante.