O que esperar do Rams na temporada 2012

Terminados os jogos da pré-temporada, desenferrujadas as articulações dos jogadores após a longa e penosa offseason, feitos os devidos testes em campo com os rookies, os devidos ajustes no entrosamento e os cortes necessários para fechar o roster, fica a pergunta que deve estar rodeando a cabeça dos torcedores da franquia do Missouri: O que esperar do ST LOUIS RAMS nesta temporada?

Os torcedores mais otimistas – eu, por exemplo – sempre esperam o melhor desempenho do time e os melhores resultados, mesmo diante das adversidades. E ninguém pode negar que já começamos este ano com algumas adversidades, só pra variar.

(Calma, torcedor! Estamos falando da temporada 2012! Esqueça 2007…)

A derrota vergonhosa para o Indianápolis Colts no primeiro jogo da preseason é uma delas. Converter apenas UM field goal durante todo o jogo de estreia diante de um time que foi o pior da temporada passada – cujo quarterback Andrew Luck fez seu primeiro jogo na NFL – e ceder impressionantes TRINTA E OITO PONTOS é mesmo de fazer o torcedor cardíaco dar entrada no hospital. Tudo bem que jogos de pré-temporada não valem e servem justamente pra fazer os ajustes e testes mas, como diz o jargão futebolístico brasileiro, jogo é jogo, amigo! Eu esperava mais dessa primeira partida. E Steven Jackson também. Após o jogo, o corredor afirmou, na sua conta do twitter, estar ciente das opções do Head Coach e que, mesmo assim, esperava um resultado melhor.


Os jogos seguintes, contudo, foram bastante animadores. Contra o Kansas City Chiefs, na segunda rodada, os RAMS conseguiram uma sólida vitória por 31 a 17 em boas atuações de Sam Bradford e de seus recebedores. Mesmo perdendo para o Dallas Cowboys por apenas um ponto, o time mostrou capacidade de recuperação, uma vez que encerrou o primeiro quarto com o placar de 17 a 03 para a franquia do Texas e praticamente anulou o ataque adversário nos três quartos seguintes, anotando 13 pontos no último e encerrando sua terceira partida com o placar de 20 a 19. Mas nem tudo são flores: A offensive line não fez um bom jogo, deixando o camisa oito desprotegido e, por isso, Bradford sofreu muitos sacks.

(Cuidado com esse cara aí atrás, Bradford!)

A preseason acabou para os RAMS com a convincente vitória sobre o bom Baltimore Ravens, dono de uma das melhores defesas da Liga, por 31 a 17, mesmo resultado obtido contra os Chiefs. A defesa de Saint Louis se mostrou mais sólida, Sam Bradford aparentou maior domínio de campo que nos jogos anteriores e bons lances (como o TD com cambalhota de receiver Austin Pettis) fizeram o torcedor mais feliz e confiante.
Mas não podemos esquecer as adversidades, sempre elas! O wide receiver Brian Quick, segunda escolha do Draft deste ano, não fez uma boa estreia e decepcionou os managers da franquia, que apostavam alto no rapaz. Les Snead, no site oficial do Saint Louis Rams, rasgou muita seda pro recebedor durante o período de treinos. Talvez a pressão tenha feito o garoto amarelar. O fato é que ele garantiu a terceira posição de WR1 e vai ter muito o que provar durante a temporada. Para a diretoria, para Fisher e para a torcida. Isaiah Pead também fez uma estreia ruim jogando contra o Indianápolis Colts, mas também garantiu sua vaga na escalação como segundo corredor e vai esquentar o banco de Steven Jackson este ano.

A primeira escolha do Draft de 2012, o defensive tackle Michael Brockers, que chegou para reforçar a defesa (bastante vazada na última temporada, diga-se!) lesionou o tornozelo direito no primeiro quarto do jogo contra Baltimore e arrepiou os bigodes de Jeff Fisher de preocupação. Felizmente, a lesão não foi séria e seu nome está garantido na linha defensiva do time.

Obviamente, nem todos conseguiram se manter. O fullback veterano Ovie Mughelli, por exemplo – Piter Damacino já escreveu sobre ele aqui – que vinha para garantir a proteção das corridas de Steven Jackson, foi cortado do roster final e acabou dispensado. Junto com ele, outros também sambaram e não vestirão a camisa azul e dourada, entre eles os bons recebedores Danario Alexander e Charles Gilbert, além de Joe Long, Tim Barnes, e do quarterback Tom Brandstater.

Apesar disso tudo, o cornerback calouro Janoris Jenkins fez um ótimo jogo de estreia contra os Colts e garantiu vaga, ao lado do bom veterano Cortland Finnegan, ex-Titans trazido à reboque por Jeff Fisher, que também fez uma boa estreia no time do Missouri.
Mesmo já bem estabelecido em sua posição, Sam Bradford também é motivo de preocupação. A capacidade do quarterback de liderar o time vem sendo muito questionada pela imprensa americana desde a última temporada, quando não apresentou um bom futebol, lesionou o ombro e ficou de fora de seis partidas importantes. As opiniões sobre o camisa oito de Saint Louis divergem bastante, com alguns pessimistas defendendo que o bom desempenho em sua season de estreia, em 2010, não passou de “sorte de principiante”.

O primeiro jogo à vera do ST LOUIS RAMS este ano é contra o Detroit Lions, no próximo domingo (09/07), no Ford Field, em Detroit. Sensação da temporada passada, a franquia de Michigan conta com um roster forte e com bons nomes como Calvin “Megatron” Johnson, talvez o melhor wide receiver em atividade na NFL, que vão dar muito trabalho para o time dos RAMS. E, desta vez, não será um teste.

Para nós, torcedores, resta apenas vestir a jersey azul e dourada do coração, sentar frente à televisão (ou ao computador), abrir uma cerveja, e esperar o melhor desempenho do time e os melhores resultados. Mesmo diante de todas as adversidades.

Um abraço.

Anúncios

O que achou do texto?Comente:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s